sábado, 26 de maio de 2012

Capítulo 24 – Missão impossível




Demi pos na cabeça que tinha que saber o que havia naquele bendito envelope, e quando ela quer uma coisa, não a quem a faça desistir. Agora estávamos em uma missão impossível... Ou melhor... Suicida. 

_Nós vamos morrer_ Kevin disse com um ar de desespero no rosto. 
_Não, não vamos_ Demi discordou_ ainda não.
_Ainda não? Isso ajudou muito Demi.
_Não seja frouxo.
_Eu que sou o frouxo? Isso aqui é loucura. Se alguém nos pega...
_Quer saber... Fica, eu vou sozinha.
_Nem pensar_ Selena disse.
_Então parem de reclamar. Quanto mais gente for vai ser pior.
_Me deixa ir sozinho, você não pode entrar lá Demi_ falei.
_Nem pensar, eu vou pegar aquele maldito envelope e ninguém vai me impedir.

Narrado pela Demi

Estávamos nos portão da minha casa. Eu me espantei quando não vi ninguém, onde estavam os seguranças? 

_Que dia é hoje?_ perguntei.
_27 de maio?_ Selena respondeu incerta, pareceu uma pergunta. 
_Hoje é aniversario da Taylor_ lembrei.
_É mesmo_ Nick concordou.
_É por isso que não tem ninguém aqui_ falei.
_O que? Eles tão dando uma festa pra Taylor?_ Joe fez careta_ Mesmo com tudo que esta acontecendo?
_Não uma festa_ discordei_ mais a Taylor não ia deixar passar em branco. 
_Olha, isso é bom_ Miley falou_ vai ficar mais fácil entrar se eles estiverem distraídos.
_É verdade_ concordei.
_Ótimo, as chances de morrermos diminuíram de 10 pra 8, grande coisa_ Joe revirou os olhos.
_Da pra parar de ser pessimista?_ reclamei.
_Não.

Ele tava começando a me irritar, já fazíamos quase um ano juntos e parece que ele não me conhecia totalmente, ou pelo menos não entendia esse meu jeito eufórico de ser.

_Eu vou entrar_ falei.
_Não, você espera aqui, eu vou_ ele pediu.
_Nem pensar_ discordei.
_Você não vai entrar lá Demi, está grávida e frágil_ disse.
_Você não pode entrar, eles vão notar você fácil.
_Como?
_O seu cheiro, eles vão perceber que tem um lobisomem lá. Se eu for não vai fazer diferença.
_Não. Se for assim a Selena ou a Miley podem ir e...
_Já chega Joe. Eu vou e acabou.

Ignorei os protestos dele e entrei na minha... Ou melhor... Na casa. Não abri o portão pra evitar qualquer barulho, pulei o enorme muro. Não tinha ninguém, estava completamente vazio. Avistei de longe a janela do meu antigo quarto e escalei a parede, ele ainda estava do jeito que deixei a ultima vez, ninguém havia mexido em nada. Como eu sentia falta daquilo... Meu quarto.

_Meu quarto_ sorri sozinha.

Espantei os pensamentos que me vieram à cabeça e abri a porta do quarto cuidadosamente, não havia ninguém no corredor, andei tranquilamente até o escritório do meu pai, e fui até a gaveta onde ele guardava o envelope e adivinhem? Estava trancada.

_Onde ele guardava mesmo a porcaria da chave?_ falei comigo mesma.

Antes de eu pensar em alguma coisa a porta do escritório abriu. Eu quase tive um piripaque na hora mais pra minha sorte era minha mãe.

_Demi?_ me olhou assustada.
_Mãe_ a abracei.
_O que você faz aqui menina? Enlouqueceu? Você devia estar longe.
_Eu sei...
_Se sabe então porque esta aqui? Se Marcus te pega aqui você esta morta.
_Tem uma coisa aqui que eu quero.
_O que?
_O envelope_ falei.
_Demi...
_Não mãe. Eu tenho o direito de saber, vocês não podem mais mentir pra mim.
_Demi vai embora, por favor...
_Me da o envelope que eu vou.
_Não posso.
_Então eu acho sozinha.

Comecei a procurar a porcaria da chave enquanto minha mãe me olhava aflita. Eu sabia bem que o que eu estava fazendo era uma loucura mais eu precisava daquilo.

_Ta bem eu te dou a chave_ desistiu_ mais você vai embora e não vai mais pisar aqui ouviu?
_Ta bem_ sorri.

Ela me deu a chave e eu abri a gaveta, o envelope estava lá, muito bem guardado, eu o peguei e sorri.

_Eu vou logo avisando que você não vai gostar do que vai ver ai_ falou.
_Não importa, eu preciso saber.
_Eu sinto muito por tudo isso filha_ falou.
_Eu sei.
Ela suspirou_ Agora vai antes que ele apareça. E se prepare porque quando ele sentir falta disso e souber que foi você... Não vai prestar.
_Tudo bem.

Dei um beijo nela e sai de lá correndo, quando estava saindo pelo portão dei de cara com a Taylor.

_O que você faz aqui?_ perguntou irritada_ o que é isso na sua mão?
_Feliz aniversario maninha_ sorri.
_Você...
_Adeus.

Não dei tempo de ela falar nada, apenas sai correndo e me encontrei com os outros, não deixei que fizessem perguntas, apenas falei pra que corressem e eles me seguiram sem fazer perguntas.

Narrado pela autora

Taylor saiu de casa sem avisar a ninguém, e foi correndo atrás da irmã. Quando de repente deu de cara com um rosto conhecido...

_Oi_ sorriu.
_Trish?
_Você lembra de mim, não nos conhecemos bem. Eu já conversei muito com sua irmã.
_Ela não é minha irmã_ fez careta_ O que você quer?
_Precisamos conversar.
_Eu não tenho nada pra falar com você.
_Sabe, vocês duas não são irmãs mais tem um jeito parecido... Um gênio ruim_ sorriu.
_Você vai me matar é isso? Eu prefiro isso a ficar aqui ouvindo você me comparar com aquela...
_Eu não vou te matar... Nunca faria isso.
_Porque não?_ perguntou sem entender.
_Tem umas coisinhas que você precisa saber sobre a sua vida e a sua família e o Marcus não vai te contar... Mais eu posso.
_E porque eu daria ouvidos a você?
_Porque você parece comigo, e tem o mesmo desejo que eu... Matar a Demi. Podemos ser amigas_ estendeu a mão em um gesto amigável_ O que acha?
_Eu acho que podemos conversar sim_ disse mais não estendeu a mão.
_Ótimo, vem comigo_ pediu.

Então Taylor a acompanhou pra que pudessem conversar.



Cadê os comentários gente linda ???
Tô fincando tliste sem comentário fofos :'(

2 comentários:

  1. Selos pra você ^^
    - Xo Xo \o/

    http://jemi-meapaixoneiporumvampiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir