sexta-feira, 8 de junho de 2012

Capítulo 32 – Anjo da Noite




_Quer saber de uma coisa? Eu me cansei de você_ Demi falou em um tom cortante. 
_Ah Demi... Se você pudesse se ver.
_Você não me conhece.
_Conheço... A verdade é que nem você se conhece, não sabe de onde veio. 
_Não me interessa o que você acha ou pensa de mim... Eu sei muito bem quem eu sou. 
_Sabe? 
_Demetria Devonne Lovato... Uma vampira com super poderes. Minha mãe se chama Denise e meu pai é um imbecil mentiroso. A vaca da minha irmã tentou me matar e então arranquei a cabeça dela fora. Tenho um monte de amigos, uma casa e uma filha linda. Sou “vegetariana” e meus olhos são diferentes... Ah, e meu namorado morreu por sua culpa. 
_Ah... Que lindo. Esqueceu a parte de que você é um monstro. 
_Eu não sou um monstro.
_Ah não?_ ergueu a sobrancelha.
_Não. Eu sou um anjo... Um Anjo da Noite_ sorriu. 
_Quem disse isso pra você? O seu namoradinho? 
_Quer saber de uma coisa... Não importa de onde eu vim... O que importa é o que eu sou... E eu sei bem quem sou. Nada do que você diga vai me irritar mais.
_Sério? Resolveu crescer é Demizinha? 
_Meu nome é Demetria.

Trish pensou em chegar mais perto mais não conseguiu se mover, como se não controlasse o próprio corpo, olhou a vampira a sua frente um pouco assustada, observando as lágrimas de sangue que desciam por seu rosto angelical e sinistro que tinha um leve sorriso maldoso. 

_Resolveu bancar a esperta agora?
_Cansei dessa nossa brincadeira de gato e rato... Não tenho mais paciência pra te aturar. Já passou da hora de acertar minha conta com você. 
_E o que vai fazer? Me bater?
_Não... Tenho uma ideia melhor.

Demi esticou a mão, fazendo a espada jogada no chão flutuar até ela. Estava com a ponta quebrada, ela só observou atentamente.

_Parece que precisa de uma espada melhor_ sorriu.
_Porque não cala a boca?
_Odeio o silencio.
_Vai parar de sorrir quando souber o que vai te acontecer_ garantiu.

Demi segurou a espada firmemente nas mãos, observando a lamina atentamente... Trish fez o mesmo, sem saber o que ela pretendia. Demi então percorreu sua mão lentamente pela espada, do fim até a ponta da lamina e quando tirou a mão, a espada estava inteira novamente... Como se nunca houvesse quebrado.

_Como você fez isso?_ Trish perguntou espantada.
_Eu disse que você não me conhece.
_Estava escondendo umas cartas na manga né? Parece que seus poderes são mais incríveis do que eu pensava. Interessante.
_Não fique muito alegre... Isso não é nada bom pra você.
_Já disse que não tenho medo.
_É uma boa hora pra começar a ter_ garantiu.

Deu as costas a ela e foi até a cozinha, Trish esperou impaciente, imaginando o que ela tinha em mente e tentando em vão se soltar. Arregalou os olhos quando viu ela voltando com uma caixa de fósforos e uma garrafa de álcool na mão.

_O que vai fazer com isso?
_Ta na hora de fazer uma das visões virarem realidade.
_Pensei que fosse arrancar minha cabeça fora.
_Isso seria muito fácil... Não teria a menor graça, você merece sofrer mais que isso.
_Oh... Ta pegando o jeito da coisa né?
_Não faça de conta que não liga... Posso sentir o cheiro do seu medo.
_Ha... O que foi que deu em você em?
_Cansei de bancar a idiota... Agora vou fazer o que tiver de fazer... Num tenho nada a perder mesmo.
_É bonitinha... Quem diria.
_Não quero mais conversar... Você esta me enchendo.

Trish já ia responder com mais uma de suas piadinhas mais não conseguiu abrir a boca.

_Assim ta bem melhor.

Começou a andar pra fora da casa, arrastando a Trish junto que não conseguia falar ou se mexer... Só parou quando estavam no meio de algumas arvores, não muito longe da casa. Encostou a Trish na arvore e a amarrou, mais não com uma corda... Usou a espada, a entortando e enrolando em seu corpo. Depois se afastou e a olhou sorrindo.

_Tem alguma coisa pra dizer antes de eu acabar com você?
_ Allez au diable (Vai pro inferno).

Demi sorriu pra ela e então pegou a garrafa de álcool e despejou sobre ela.

_Quer saber de uma coisa?
_O que?
_Não foi por minha culpa, nem pela minha mãe que meu pai te deixou.
_Ah não?
_Não... Ele te abandonou, pois não te agüentava, pois não te amava.
_Ele me amava sim...
_Não amava não e sabe por quê? Porque não se pode amar um monstro.

Ao dizer isso viu pela primeira vez Trish derramar uma lagrima e isso a agradou. Então sem pensar duas vezes ascendeu um fósforo e tacou nela, se afastando e observando a chama aumentar... Enquanto Trish gritava de dor. Abaixou-se no chão, observando a cena, deixando as lágrimas descerem, agora estava tudo acabado, não tinha mais volta. O fogo foi se espalhando aos poucos, queimando as arvores em volta, se aproximando da Demi... Ela fechou os olhos com força, deixando as lembranças virem a sua mente. O dia que conheceu Joe... Quando ele disse que a amava pela primeira vez. O primeiro beijo... A primeira noite... O nascimento da filha... E então a sua morte, o fim do mais belo sonho que já tivera na vida.

_NÃO_ gritou, querendo arrancar de dentro de si toda aquela tristeza.

Quando ela gritou o fogo se apagou... Um silencio se fez na floresta e ela apenas se deitou ali, chorando... E acabou apagando.


Um comentário:

  1. Os adultos vivem dizendo que a adolescência, é um dos periodos
    mais marcantes da vida. Mais o que o adolescente pensa disso?
    ( sinopse do blog ),
    Acessa meu blog?

    http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com.br/
    (Blog de uma adolescente)

    Se gostar segue lá, ficarei muito contente com a sua visita.
    Beijos e uma ótima semana.

    ResponderExcluir